À Bordo

A Hapag-Lloyd tem investido sempre em tecnologia moderna – para proteger o meio ambiente e fornecer alta qualidade de serviços. Desenvolvendo tecnologias ambientalmente amigáveis, nós cooperamos com nossos parceiros de indústria com fabricantes de motores e estaleiros.

Meta de redução de emissões

Como parte de nossa estratégia de sustentabilidade, nós, como Hapag-Lloyd, nos comprometemos a reduzir nossas emissões de carbono para limitar o impacto no meio ambiente.

           Nossa meta é diminuir as emissões específicas de CO2 de nossa frota em 20% (por TEUkm)
           para o período de 2016 a 2020.

Aqui estão algumas medidas que nos ajudam a atingir nossa meta ambiciosa.

Política de Reciclagem de Navios da Hapag-Lloyd

Como um dos líderes entre os armadores, a Hapag-Lloyd tem ciência de sua responsabilidade social e ambiental no que diz respeito à segurança e meio ambiente da reciclagem de seus navios. Então, nossa companhia decidiu tomar a iniciativa e implementou a Política de reciclagem de Navios da Hapag-Lloyd, considerando que todos os recém criados navios são voluntariamente equipados com o Inventário de Materiais Perigosos (IHM) já a vários anos.

O Conselho da Hapag-Lloyd e todos os departamentos envolvidos dão total suporte para essa Política de Reciclagem de Navios de Maio de 2014.

Novo bulbo de proa para redução de emissões

Na Hapag-Lloyd, nós analisamos continuamente a efeciência de nossos navios. 24 dos maiores navios da frota da Hapag-Lloyd receberão um novo bulbo de proa e outros serão adaptados com propulsores otimizados em 2016.

Juntos, essas mudanças farão os propulsores do navios mais eficientes resultando na redução de emissões.

O bulbo da proa – o nariz do navio – desloca a água de um modo que minimiza ou mesmo elimina completamente uma onda da proa. Quanto menos resistência de água no casco do navio, menor o gasto de combustível para que o navio viaje na mesma velocidade.

Mais otimizações em potencial foram identificadas para os navios mais modernos da Hapag-Lloyd, de classe “Hamburg Express”. Os propulsores na popa foram realocados de forma a adaptar a performance individual do perfil do navio.

Energia em Terra

Uma conexão de energia em terra quer dizer que um motor auxiliar à diesel usado para gerar eletricidade pode ser mantido desligado enquanto os navios estão nos portos. O resultado é uma significante melhora na qualidade do ar próximo ao porto. Emissões e poluição sonoras foram reduzidas.

Até agora, 22 navios de nossa frota foram adaptados com o equipamento necessário para conexão em terra enquanto atracados ao porto (também conhecido como “Fornecimento de Energia Em Terra” (OPS), “Energia Alternativa Marítima” (AMP) ou “Terra-Navio”). Os dez navios de classe “Hamburg Express” são tecnicamente preparados e podem ser facilmente equipados com unidades de Energia em Terra se os respectivos portos oferecerem um plug de energia no futuro.

Combustíveis de Baixa Emissão de Enxofre para um ar mais limpo nas áreas costais

Em zonas especialmente protegidas, conhecidas como Áreas de Controle de Emissões (ACE’s) rigorosas normas de emissões internacionais são aplicadas aos navios. Naturalmente, a Hapag-Lloyd está em conformidade com esses regulamentos legalmente vinculativos e, assim, contibui para a melhoria da qualidade do ar e os benefícios para a saúde pública.

Atualmente nossa frota navega em todo o mundo com um teor médio de enxofre de 2,1%; isto é bem a baixo do limite de 3,5% atualmente estipulado pela Organização Internacional Marítima para áreas marítimas fora da definição de ECA.

A Hapag-Lloyd vai muito além do que é solicitado por regulamentos nacionais e internacionais e apoia a Trident Alliance na sua totalidade e se uniu a Plataforma Marítima LNG para explorar as possibilidades do uso de LNG como combustível alternativo. A Hapag-Lloyd participa de programas voluntários de conservação em portos por todo o mundo.

Áreas Geográficas

  • Áreas azuis determinam Áreas de Controle de Emissões (ACE's) onde os navios devem atender aos devidos limites.
  • A linha laranja ilustra onde os navios nos portos da Europa (marcados por pontos azuis) devem mudar para baixa emissão de combustível com um teor máximo de enxofre de 0,1% quando atracar por mais de duas horas. Os Portos da Turquia também estão em linha com os Regulamentos Europeus desde 01 de Janeiro de 2012 (área amarela). 
  • O ponto laranja marca o porto de Hong Kong, onde o Regulamento Local de Controle de Poluição do Ar se aplica aos navios que atracam lá. Consequentemente, o teor de enxofre no combustível não pode exceder 0,5%; esta diretriz tem e é aplicado a partir de 01 de Julho de 2015. Outras medidas nos portos chineses estão em preparo para implementação gradual a partir de 2019.

Proteção ambiental voluntária em áreas costais

Águas costais são a casa dos mais frágeis ecosistemas do mundo. Nós o tratamos com um nível apropriado de cuidado e, por essa razão, participamos de programas de conservação voluntária em portos por todo o mundo:

  • A Hapag-Lloyd se junta a Convenção Verde do Porto Chinês de Shenzhen
  • Índice de Navio Ambiental (ESI) da Iniciativa climática de Portos Mundiais
  • Círculo Azul do Porto Metro Vancouver reconhece participantes do programa de Ecoação que atinjam as reduções de emissões mais elevadas para o ano.
  • Programa de Redução Voluntária no Porto de Los Angeles e no Porto de Long Beach – o Programa de Incentivo à Bandeira Verde

Gestão Estrita da Água de Lastro

Todos os navios recém contruídos da Hapag-Lloyd são equipados com equipamentos altamente eficientes, instalações de tratamento de água de lastro livres de químicas em que a água de lastro é filtrada e submetida a tratamento UV. A água de lastro é necessária para que o navio mantenha estabilidade. A água de lastro é necessária para manter as condições estáveis do navio. Os cascos dos navios possuem vários lanques de água de lastro. Elas podem ser drenadas e soltas entre os tanques quando necessário para manter a estabilidade do navio. No entanto, a água de lastro pode transporter organismos para águas estrangeiras.

Para prevenir qualquer efeito indesejável ecológico, a Hapag-Lloyd tem adotado a política de gestão da água de lastro estrita para todos os navios que não possuam um equipamento de tratamento de água de lastro. Nesses navios a água de lastro é apenas trocada no mar aberto pois a maioria dos organismos não podem sobreviver e então não podem migrar para o ecosistema estrangeiro.

Plástico no oceano? Não dos nossos navios.

Regulamentos estritamente padronizados sobre o tratamento de resíduos são reforçados em nossos navios. Onde incluem: triagem de resíduos a bordo, manejamento cuidadoso de materiais tóxicos e instruções estritas de que nada deve ser jogado ao mar – uma política de “nenhum lixo ao mar”.

Resíduos são cuidadosamente ordenados, separados e propriamente dispostas por prestadores de serviços de reciclagem autorizados.

Os navios da Hapag-Lloyd possuem estações de tratamento de esgoto altamente eficazes para o tratamento de águas residuais à bordo. A eliminação de lodos (óleo usado) é totalmente documentado e só ocorre em locais autorizados, registrados e especializados em terra.

Economia de energia em containers refrigerados devido ao sistema inteligente de controle

A Hapag-Lloyd possui uma das maiores e mais modernas frotas de container refrigerados do mundo. Nós fomos uma das primeiras empresas de navegação a introduzir containers refrigerados de alta eficiência energética, o que atualmente constitui a maioria da nossa frota refrigerada. Para manter atemperatura interior num intervalo de -35 até +30 graus centígrados, a máquinade refrigeração no container apenas consome a energia que é necessária para manter a temperatura solicitada sem comprometer a precisão. Esta performance
inteligente de controle ajuda o meio ambiente por meio da grande economia de energia.

Adicionalmente à alta perfomance de isolação das paredes, nós estamos melhorando os nossos containers
com a utilização de materiais leves como o alumínio para o revestimento internodos containers refrigerados. Isto reduz o peso do container, e o consumo de combustível e, consequentemente, a nossa emissão de CO2.

O armador Transicold desenvolveu uma unidade de refrigeração, a qual opera com CO2 ao invés do convencional gás refrigerante. O CO2 utiliza um gás natural da atmosfera. Se ele vaza durante um manuseamento inapropriado da unidade de refrigeração, ele não causa danos climáticos substanciais. O gás refrigerante convencional, ao contrário, pode ser nocivo ao meio ambiente caso ele vaze do sistema de refrigeração. Enquanto a utilização do CO2 é a solução mais difícil, ela também é a mais sustentável. A Hapag-Lloyd foi a companhia escolhida para ser envolvida nos testes desta unidade.

Centro de Suporte à Frota

Nosso Centro de Suporte à Frota (CSF) de alta classe nos permite monitorar todos os nossos navios. De lá nós otimizamos os processos no mar e em terra para auxiliar a redução de emissões.

O CSF também auxilia nossos navios a identificar graves previsões de tempo em um estágio inicial que nos permitem navegar em mau tempo. Rota mais segura pode então economizar combustível, assim como manter nossa tripulação e a carga de nossos clientes mais segura.

Cooperação para melhores tecnologias

Cooperamos de perto com nossos parceiros de indústria como fabricantes de motores e estaleiros para desenvolver tecnologias favoráveis ao meio ambiente. Protótipos são testados em nossos navios com alguma frequência. A Hapag-Lloyd sempre teve o objetivo de ser a primeira companhia do segmento a implantar essas tecnologias em nossas operações diárias.

Proteção ambiental a bordo de nossos navios

Clique para ampliar a imagem. 

EcoCalc da Hapag-Lloyd

Consulte nossa calculadora de emissões EcoCalc para estimar as emissões das atividades de transporte.

Environmental Protection on Board our Ships

Tamanho
1.4 MB
Download Image
Back to Top